quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Como a internet pode dar fim ao seu namoro?

Quer um jeito bem simples de terminar qualquer relação que você tenha? Abuse da internet. Por mais impessoal e virtual que seja, a web sempre cria impressões erradas e gera discussões em qualquer relacionamento. Há muuuuito tempo atrás (falando de internet, é há muito tempo mesmo!), o Orkut era o maior destruidor de relacionamentos que existia. Qualquer scrap duvidoso era briga na certa. E não adianta, não dá para se explicar. Atualmente, além do Orkut, temos o Twitter, o MySpace, o Facebook, o Fotolog…
A internet é encantadora. Quanto mais a gente gosta dela, mais ela nos consome. Apesar de parecer muito impessoal, por se tratar somente de coisas online, sem o toque real, ela causa ciúmes descontrolado em qualquer pessoa. Afinal, não é muito legal ver, ali, publicamente, um recado de outro menino dizendo que sua namorada é gatinha. Pior ainda é quando ela responde um “obrigado”. Na internet, ninguém precisa ser simpático. Mas lá no fundo de cada um, essa é a real vontade. Por quê?
Ego massageado é algo que todos gostamos, obrigado. Muita gente se expõe na web só para receber elogios de desconhecidos (e até mesmo de conhecidos!) e criar uma rede social virtual maior a cada dia. Fotos ousadas, mostrando partes do corpo, sempre são um atrativo a mais ao seu perfil. Receber um elogio, ser paparicado, mostrar-se querido é uma necessidade humana comum que a web facilitou em muito. Talvez, por isso, ela crie tantas intrigas. Escrevi no Metablog há alguns dias um texto com base em uma entrevista com Danah Boyd, uma das principais especialistas em mídias sociais do mundo. Na entrevista, ela afirma que a internet é atrativa pois, além do fato de criarmos amigos e relações, ela dá status social, que é algo para que somos biologicamente programados. Para Danah, a intenção do usuário ao ingressar em uma rede social é se tornar especial e ser notado no meio da multidão.
Por isso, muitas vezes, acabamos respondendo mensagens carinhosas que recebemos via Orkut ou Twitter. As pessoas, sem querer, esquecem que aquilo pode gerar um atrito em seu relacionamento e, depois, dá desculpas vazias do tipo “mas é pela web! eu nunca vou ver tal pessoa na minha vida” para conseguir se esquivar do problema. Na verdade, queremos esse problema, queremos todos nos sentir especiais em um meio tão vasto, com tanta gente diferente e bonita.
Em um namoro, a internet sempre atrapalha. Não adianta o que você falar, qualquer troca de elogios pode ser ultrajante para quem lê. Afinal, muitas vezes o histórico não é só aquilo que está publico. Ninguém sabe se você fala com aquela pessoa no Messenger, se manda depoimentos escondidos ou se troca mensagens mais particulares com tal. A briga, nestes casos, sempre fica com a sensação de inacabada. Justificar-se é fácil. O difícil é jogar a real.
Quer algumas dicas para poder usufruir das redes sociais sem se meter em encrenca com o namoro? Lá vai!
- Antes de responder qualquer mensagem pública, pense exatamente no que você vai dizer. Tente se colocar no lugar do outro da relação, imagine se fosse você quem estivesse lendo tal coisa. Só com isso, sua resposta já vai ser muito menos “simpática”.
- Evite conversar com pessoas do sexo oposto ou puxar assunto com gente que possa parecer perigosa ao seu namoro.
- Você não precisa ser sociável na web. A internet, apesar de ser uma rede aberta para você fazer o que quiser, é muito, mas muito perigosa.
- Lembre-se sempre que, ao se enfiar em um namoro, você não abre mão somente da liberdade de ficar com outras pessoas. Você abre mão de ter intimidade com outros, de conversas com segundas intenções, de sair com quem entender, de adicionar pessoas sem explicação.
- Não coloque fotos chamativas na rede. Você já namora. Somente ele deve ter acesso a tal ‘informação’.
- Tente deixar o seu parceiro sempre a par do que você faz na rede. Mostre à ele com quem você conversa, o que manda em particular para os outros e, se não achar chato, compartilhe senhas. Apesar de cada um precisar ter intimidade, é sempre bom abrir coisas ‘não necessárias’ ao outro. Dá confiança ;D
- Você não é a única pessoa inteligente da relação. Não tente engabelar seu parceiro com explicações xucras para as suas ações na web.
- Seu parceiro fez algo que te intrigou? Pergunte à ele. Se você faz igual, você vai ter que abaixar a cabeça e aceitar a justificativa de “você fez igual!”.
- Viva o real! Compartilhe o virtual.

Nenhum comentário: