quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Meninas que adoram chegam junto: qual é o problema, hein?

sse post poderia ser resumido em: “gente, acorda, a gente tá no século XXI e cada um faz o que bem entende da sua vida, tá?” Mas daí vocês iriam me odiar para sempre. O que acontece é o seguinte: o mundo evoluiu, a sociedade evoluiu, a economia evoluiu, a tecnologia evoluiu, a forma de se relacionar evoluiu, mas as pessoas, no entanto, parece que não conseguem acompanhar essa evolução para certas coisas. Antigamente – ou pelo menos no antigamente de Hollywood – era normal aquelas cenas em que o homem tirava a mulher para dançar nos bailinhos. Acredite se quiser, mas na quarta série eu ainda fazia isso no meu aniversário. Claro, as coisas já haviam mudado bastante, mas ainda tinha todo um charme. Hoje, a gente clama por liberdade sexual, por igualdade dos sexos, por salários maiores, por justiça na política… E ainda tem gente que recrimina as meninas que chegam junto? Oi?
Então, vamos lá. Eu, sinceramente, acho que a gente vive em uma bagunça que só. Começaremos pelo fato da evolução, da liberdade da mulher, das atitudes delas. Hoje, a mulher tem os mesmos direitos que o homem. Aqui no Brasil todo mundo é igual. E não sou eu quem tá falando isso, não. Tá lá no Art. 5º da Constituição Brasileira. “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: I -  homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição”. Claro, essas regras se aplicam à coisas mais sérias, como questões de trabalho, sociais e afins. Mas por quê não aplicá-las na nossa vida, já que fazemos parte desta Constituição?
Garotas, vocês são livres e iguais à nós. Não liguem para os rótulos que alguém pode lhe dar por tomar a iniciativa, por ter coragem e ir atrás do que você quer. Se você está afim de alguém, lute e consiga. Esse lance de ficar esperando os meninos chegarem… Xi, ando reparando que a gente tá mais lerdo do que nunca.
E para aqueles meninos que ainda fazem gracinhas e geram comentários sobre as meninas que chegam na gente, olhem só, já chegou a hora da gente se decidir, né? A gente reclama, reclama, reclama, mas também não fazemos nada. O máximo que rola é criar alguma música de funk rebaixando as garotas à cachorras. Bem, é outro assunto, ok. Mas e a igualdade aí, né?

Nenhum comentário: