quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Pegação em público tem limite?

Que se atracar com alguém é uma das coisas mais gostosas do mundo, ninguém duvida. Demonstração de afeto em público também é muito agradável. Se unirmos o gostoso ao agradável a gente tem… pegação. É, o pessoal anda mesmo sem noção de espaço e mais sem vergonha do que nunca. Parece que pra onde a gente olha, tem alguém se pegando. Há uns anos, isso era só coisa de balada e lugares mais privados. Hoje, a galera tá achando que qualquer lugar é lugar de amasso.
Existe uma grande diferença – e, ao mesmo tempo, uma linha muito fina – entre “pegação” e “amasso”. Quando você tá com alguém no colégio, por exemplo, e começa a ficar de namorico com um garoto, o clima sempre acaba esquentando em algum canto. Claro que você tem toda uma repressão, já que ali é um lugar de estudo e qualquer passo em falso seus pais podem ser informados. Mas é bem normal ficar dando “uns amassos” em um canto mais silencioso, onde amasso é igual à uns beijos mais fortes, uma mão boba, uns carinhos e uns abraços apertados.
Já a pegação rola quando a pessoa perde as estribeiras e não respeita absolutamente ninguém que está em volta dela. Lambidinhas na orelha não é coisa de se fazer em público, não. Muito menos esfrega, esfrega. Todo mundo sabe que é gostoso, mas a gente gosta de fazer e não ficar vendo os outros fazerem. Existem situações que ficam até chatas, não é?
E você, acha que deve ter limite para a pegação?

Nenhum comentário: