quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Traição: e quando é você quem faz a burrada?

Aqui neste blog, estou muito acostumado a falar de situações em que, no geral, são criadas pelos meninos. Eles não dão a devida atenção. Eles não se comportam. Eles não gostam dos meus amigos. Eles traem. Eles não são legais. Ok, de forma geral, o menino acaba realmente fazendo mais burradas do que as meninas nos relacionamentos. Isso porque, bem, todo mundo sabe que somos mais infantis. E isso já é comprovado: o homem realmente demora mais para encontrar a ‘maturidade’ plena (e eu acredito que a culpa disso é da sociedade, não nossa. Nascemos e crescemos com a ideia da vida capitalista, onde temos que trabalhar o máximo possível para sustentar a família, onde não podemos demonstrar os nossos sentimentos, senão somos rotulados e onde temos que provar a todo o tempo a nossa masculinidade, para sermos aceitos em grupos pequenos no decorrer da vida. Com essas ações, acabamos ‘travando’ um pouco na forma de encarar as coisas. Sem contar na forma que a mulher ainda é tratada, né? Mas isso é outra pauta.) Enfim. Mas e quando acontece o contrário? E quando as meninas que fazem alguma besteira no relacionamento, do tipo, traição? O que fazer? Contar? Esconder? Mentir? Continuar traindo?
Vou contar um segredo para vocês, meninas: nós também temos sentimentos. Podemos esconder muito, podemos não demonstrar carinho em público, podemos não ser ultraromânticos. Podemos não ser perfeitos. Mas temos. Lá dentro do coração, os ogros também amam. Eu acredito que todo relacionamento tem um motivo especial para acontecer, rola uma troca de sentimentos e carinho único e, quando isso morre, nasce uma possível explicação para a traição. Claro, ela deve ocorrer por vários outros motivos, como insegurança, medo, bebedeira ou, simplesmente, sacanagem mesmo. Os meninos levam a fama de ser infiéis, mas eu conheço uma penca de menina que namora há muitos anos e não estão nem aí para o valor do relacionamento, traem na cara larga, sem peso algum na consciência.
Se você, garota, está pensando em trair o seu namorado, reveja muito se vale a pena tal atitude. Pense, antes, em como você se sentiria se rolasse o contrário. Evite a traição. Sempre. Se um namoro não vai bem, termine-o. Não magoe o outro dessa forma, porque ninguém merece isso.
Caso você já tenha traído, eu acredito que a melhor coisa a se fazer é contar. Tenha vergonha na cara para assumir o seu erro e falar a verdade. Com a sinceridade, o garoto pode até acreditar que você se arrependeu de verdade e perdoar. Nunca esconda algo desse tipo. Um dia, de alguma forma, a mentira sempre aparece e nessa hora, pode ser que você esteja vivendo uma ótima fase com o seu namorado, que vai acabar sendo estraçalhada por uma baboseira que você fez no passado. A traição não se justifica. Nunca. Você traiu porque traiu. Diga o que rolou, como aconteceu e só. Agora você tem que esperar o menino entender e decidir o que irá fazer. É triste, é dolorido… Mas toda ação tem uma reação, né?
Aliás, isso vale para qualquer coisa. Sempre que fizer algo de errado escondido, conte. Por mais dolorido que seja, o melhor é sempre ser honesto. Por respeito, sabe?

Nenhum comentário: