sexta-feira, 12 de março de 2010

Saiba se seu relacionamento tem futuro: dicas

Seja realista
A maioria das pessoas idealiza o amor de acordo com sua educação e a cultura que o cerca: os filmes convidam você a sonhar com relações românticas ou com parceiros ideais, que fazem elogios o tempo todo e mostram o quanto não conseguem viver ao seu lado.

Ao se apaixonar, a pessoa costuma adaptar seu comportamento às expectativas que tem em relação à outra, ou à sua idéia de amor ideal. Mais cedo ou mais tarde, as personalidades aparecerão e com elas as primeiras decepções - para impedir isso, é preciso saber entender o outro.

Evite desistir logo
Entregar os pontos diante do primeiro grande problema não é a melhor solução, já que todos sabemos que nenhuma relação ou pessoa é perfeita. Para melhorá-las, é preciso trabalhar e ser perseverante. Uma relação se constrói dia após dia e por ambas as partes, que se esforçam para vigiar os defeitos e potencializar seus pontos fortes, que reforçam o amor.

Pode ser que isto acabe com os ideais românticos de alguém, mas evitará surpresas futuras.

Conheça o passado amoroso de quem está com você
Segundo a psicoterapeuta nova-iorquina Marilyn Graman, muitas vezes não buscamos informação suficiente sobre a outra pessoa quando começamos a sair com ela.

"É importante conhecer o passado amoroso de alguém, porque tem muito a ver com como ela se comportará no futuro", completa.

Para conhecer seu companheiro, é bom saber as seguintes coisas: ele teve alguma relação longa ou a maioria delas foi curta? Faz planos para um futuro próximo ou só pensa um ou dois meses à frente? Fala em ter uma relação longa ou se casar? Há alguma referência em suas conversas sobre como ele gostaria que fosse uma relação séria ou o casamento?

Atenção às discussões
As disputas indicam a saúde da relação. São positivas quando buscam um acordo ou uma solução, sem violência, insultos ou humilhações, e quando servem para que a relação funcione, como um nexo de atração para reviver a sexualidade, ou pelo prazer trazido pela reconciliação posterior.

Por outro lado, podem ser negativas se envolverem terceiros para conseguir algo ou envolvem uma crítica constante, auto-estima baixa ou críticas pessoais sobre a outra pessoa. Outro ponto negativo é recorrer à chantagem psicológica. Mais um sinal de que algo vai muito mal é quando a discussão utiliza-se do silêncio como resposta, ou quando se age com indiferença para acabar com a paciência do companheiro.

As brigas se tornam extremamente difíceis de ser contornadas quando começam exigindo concessões que o companheiro não está disposto a fazer. A situação fica ainda pior quando ele sempre reage negando para não perder a batalha ou cedendo para não discutir mais.

Perguntas-chave
Para ajudar a decidir se vale à pena continuar a relação, deve-se pensar numa série de perguntas:

1 - A relação tem o mesmo significado para os dois? Pode ser que uma pessoa busque estabilidade e compreensão, enquanto a outra pensa apenas na paixão e na aventura.

2 - Vocês têm interesses ou objetivos que podem ser compartilhados?

3 - Está disposto a fazer todo o possível para solucionar os conflitos que o levaram a pensar em se separar?

4 - Com o fim desta relação, acha que terá poucas chances de se apaixonar por outra pessoa?

5 - O desgaste se deve mais a motivos práticos de convivência que a razões emocionais, como a falta de amor ou paixão?

6 - As alegrias da relação superam os problemas?

Se a resposta à maioria destas dúvidas for positiva, o casal tem muitas chances de se salvar e continuar sua relação, uma vez resolvidas suas diferenças.

Um comentário:

Ana Souto disse...

legal seu blog !
obrigada e por seguir ...volte sempre!
aninhasouto.blogspot.com