sábado, 6 de março de 2010

Saiba se você já encontrou sua cara-metade

Para conferir se seu relacionamento tem futuro e se você encontrou sua cara-metade, confira as dicas da terapeuta de casais Cláudya Toledo. Ela acredita que há sete níveis de relacionamento para identificar o par ideal. Veja as opções e boa sorte! 

Intimidade física
A intimidade física entre o casal é o primeiro ponto a ser analisado. Você se sente bem em dividir a cama, o banheiro e seu espaço na casa com ele?

E você tem disposição física para um relacionamento? "Cada um tem que se cuidar fisicamente: ter uma alimentação saudável e praticar exercício físico para que tenha energia para si mesmo e para se relacionar com seu parceiro", diz a terapeuta.

Relacional
Quando o casal está bem fisicamente, já parte para a próxima fase: a relação sexual. Qual é a sua necessidade, como você gosta de transar e quantas vezes? É preciso se conhecer e conhecer também as necessidades do outro para chegar a um acordo.

Financeiro
É preciso ter objetivos financeiros em comum e entrar em acordo sobre como gastar o dinheiro. Quem paga o quê? Quanto a esta questão, a terapeuta diz que não há regra. "Não há um modelo adequado, cada casal deve chegar a uma conclusão juntos."

Emocional
Dizer claramente ao parceiro: "me sinto rejeitada quando você faz isso, fico insegura quando acontece tal coisa" é fundamental para um bom relacionamento e uma relação de confiança. É preciso expor o que se sente. "Se ele chegar tarde, diga que ficou preocupada se poderia ter acontecido alguma coisa com ele e, que neste tempo, não teve cabeça para mais nada. Diga o que sente antes de acusar."

Social
"Aonde vamos?", costuma ser uma pergunta-chave em um relacionamento, mas também outra é importante: "Com quem vamos?". Mas não se esqueça que cada um deve ter seu círculo de amizades. "Ter um hobby em comum - jogar cartas, caminhar, fazer dança de salão - é importante para o casal se 'afinar'", diz Cláudya.

Objetivos, planos e metas
O casal tem de ter planos coincidentes sobre questões fundamentais como se querem ou não ter filhos ou se pretendem estudar fora do País. É preciso chegar a um acordo.

Espiritual
"Não significa ser religiosa, é importante terem uma vida espiritual, não uma religião. Celebrar, agradecer por estarem juntos, agradecer a própria vida", diz a terapeuta.

Nenhum comentário: