segunda-feira, 8 de março de 2010

Tome cuidado com a sinceridade perversa das amigas

Você entra em um restaurante e dá de cara com o marido da sua melhor amiga acompanhado por outra. A sua reação é alertá-la imediatamente sobre a traição. Certo? Nem sempre. O lema "não sou hipócrita, falo tudo na cara" é ultrapassado e não serve de base para as relações de amizade nos dias de hoje. Junia Ferreira, psicóloga especialista em medicina comportamental, afirma ser absolutamente perverso e de má educação avisar a amiga sobre a traição, pois é um problema que diz respeito somente ao casal.

Mesmo porque, quando você critica alguém, a pessoa se sente obrigada a reagir e tentar superar a tal "falha" apontada. Neste caso da "escapadinha" do marido, pode ser que a mulher não queira terminar o relacionamento mesmo depois de descobrir. Mas, se você "meter a colher na briga do marido e da mulher", a sua amiga se sentirá pressionada a tomar uma atitude drástica, em alguns casos, a contragosto.

O consultor de etiqueta Fábio Arruda acredita que a amizade é composta de limites. Portanto, se você tem uma dessas amigas que se diz "supersincera" é prudente dizer quando não gostou sobre determinado comentário, crítica ou suposta sugestão. "As pessoas devem seguir uma forma civilizada para manter a amizade", justifica.

Segundo a psicóloga, a sinceridade pode servir como base de um relacionamento ou se converter em uma arma perversa nas mãos de quem fala. Para escapar de situações constrangedoras, Junia aconselha observar a pessoa e tentar identificar a real intenção da amiga ao submetê-la a uma sessão de dolorosas sinceridades.

Se a sua amiga vive apontando seus quilinhos a mais, dizendo que seu namorado não presta e que seu gosto para roupas é duvidoso, tome cuidado. Provavelmente, ela não merece o importante posto de "melhor amiga". Afinal, quando a pessoa gosta de você, ela toma o máximo de cautela para não magoá-la, ainda que com pequenas palavras.    

Nenhum comentário: